sexta-feira, 2 de maio de 2008

Juventude repudia Prefeitura de Montes Claros


Devido às atrocidades cometidas pela Polícia Militar, a mando da Prefeitura de Montes Claros, durante a manifestação pelo meio-passe ocorrida no último dia 24 de abril, os jovens e as jovens presentes à Conferência Nacional de Juventude não se fizeram de rogados: aprovaram unanimemente a Moção de Repúdio assinada por centenas de delegados e delegadas presentes a 1ª Conferência Nacional de Juventude.
Segundo o Presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (
UBES), Ismael Cardoso, “tentaram intimidar os estudantes, mas só conseguiram fazer com que a sociedade montesclarense, e agora também a juventude brasileira, repudiassem a violência contra os estudantes que reivindicam seus direitos. A luta não vai parar!”. Ismael também confirmou sua vinda a Montes Claros para o desdobramento da luta pelo meio-passe.

Confira abaixo a íntegra da Moção de Repúdio aprovada pela juventude brasileira:

Moção de repúdio à repressão militar da Prefeitura de Montes Claros – MG contra os estudantes.


No ultimo dia 24 de abril mais de 4.000 estudantes de dezenas de escolas e faculdades de Montes Claros saíram às ruas da cidade para reivindicar a implementação do meio-passe para estudantes no transporte público.
Esta foi a segunda passeata com este tema e ocorreu devido ao descumprimento por parte da prefeitura do acordo firmado no dia 27 de março, dia da primeira manifestação. A prefeitura havia se comprometido em encaminhar um projeto consensual com a comissão composta por estudantes e pelo poder público. No entanto, a prefeitura não convocou nenhuma reunião desta comissão e pior, construiu outra comissão de acordo com seus interesses e sem os verdadeiros representantes dos estudantes.
Se dependesse dos estudantes a passeata do dia 24 poderia ter ocorrido de forma pacifica. Eles exigiam uma reunião com o prefeito ou com o vice-prefeito. Inclusive, o vice-prefeito havia feito o compromisso dias antes que estaria na prefeitura quando a passeata chegasse.
Contudo, ao chegarem os estudantes à prefeitura os representantes do poder público alegaram que ambos estavam ausentes.
A prefeitura não se dispôs a dialogar. A mando da prefeitura, a Polícia Militar, o GATE, a ROCCA e o CHOQUE avançaram contra os estudantes com bombas, balas de borracha, cassetetes, cães, gás lacrimogêneo, spray de pimenta e escudos.
Estudantes foram presos, feridos gravemente com as bombas e tiros. Uma jovem foi ferida no seio com os estilhaços das bombas.
Entre os presos estavam diretores da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas, o presidente e diretores da União Estadual dos Estudantes e da União Colegial de Minas Gerais e também um pai de estudante que somente pediu uma informação para um policial e foi detido.
A juventude brasileira reunida na 1ª Conferência Nacional de Juventude, na cidade de Brasília, solidariza-se aos jovens montesclarenses e repudia veementemente a ação truculenta da polícia e condena a atitude antidemocrática da Prefeitura Municipal de Montes Claros por utilizar método tão repressivo e violento contra os estudantes da cidade.
A juventude brasileira entende que ainda há muito que se conquistar para consolidarmos a democracia em nosso país, todavia não podemos permitir nenhuma violação dos direitos e da democracia já conquistada à duras penas pelo povo brasileiro.


A Estrada vai além do que se vê!

Um comentário:

Danniel disse...

a juventude brasileira já sabe!!!!!
athos não é mais eleito nem pra sindico de prédio!!!!!!!!
viva a luta dos estudantes!!!!
meio passe já!!!!!