terça-feira, 30 de junho de 2009

UEE comemora 10 anos de reconstrução e tem nova presidente

Ato político em comemoração aos 10 anos de reconstrução da entidade

A Zona da Mata mineira recebeu no último fim de semana (26 a 28 de junho) centenas de estudantes de todas as regiões de estado. Foi o 41º Congresso da União Estadual dos Estudantes (UEE) que ocorreu em Viçosa.

O Congresso mostrou um movimento estudantil vivo e bastante plural. Anarquistas, socialistas, independentes e comunistas ocuparam o campus da Universidade Federal de Viçosa (UFV) e, em clima de intenso debate de ideias, as diversas tendências do movimento estudantil discutiram sobre meio ambiente, gênero, políticas de inclusão, legalização da maconha, luta contra a homofobia, além de conjuntura política e ensino superior.

No primeiro dia do Congresso, os delegados participaram principalmente de dois paineis, um sobre educação e outro sobre conjuntura política. No domingo, além dos debates relacionados ao Governo Lula, Reforma Universitária e Política de Cotas, foi realizada a eleição para nova direção da UEE. Quatro chapas foram inscritas para dirigir a entidade por um mandato de dois anos. A proposta de maior destaque foi a que convocou um Conselho Estadual de Entidades de Base (CEEB) para reformar o estatuto da UEE-MG. A chapa "Transformar Minas, com Aécio não dá!" recebeu a maioria dos votos e indicou a estudante de história da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Luiza Lafetá como nova presidente da entidade de representação estudantil.

Na ocasião, os estudantes celebraram os 10 anos de reconstrução da UEE mineira. Um ato político foi realizado no auditório da universidade e foi lançada a campanha de retomada da sede histórica da UEE e da União Colegial de Minas Gerais (UCMG). Na mesa diversas lideranças políticas e ex-líderes estudantis que fizeram parte da UEE lembraram a importância da entidade e ressaltaram o seu caráter de luta em defesa das políticas voltadas para a educação de qualidade. O ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) e atual secretário executivo do Ministério do Esporte, Wadson Ribeiro falou do compromisso do movimento estudantil com as causas progressistas e completou afirmando ser fundamental a interlocução entre os movimentos sociais para que o Brasil não retroceda nos avanços democráticos promovidos pelo presidente Lula.

O deputado estadual Carlin Moura (PCdoB) apontou como extremamente relevante o papel dos estudantes na luta contra a agenda neoliberal apresentada pelo governador Aécio Neves. O deputado André Quintão (PT), que também esteve presente ao Congresso, defendeu uma maior participação da entidade na construção de políticas publicas para a juventude.

Fernando Maximo presidente da reconstrução da UEE lembrou os tempos da refundação da entidade em São João Del-Rei. Ramon Fonseca, presidente da UEE entre 2002 e 2004, apontou a criatividade do movimento estudantil que batizava suas teses com os mais diferentes nomes, como por exemplo, o nome do movimento que o elegeu –“Bola de meia, bola de gude. A UEE não pode parar”, e afirmou que a vitalidade do movimento estudantil se renova a cada dia na força de seus militantes.

O Reitor da UFV, professor Luiz Cláudio, se comprometeu em sua fala a levar para a próxima reunião do fórum de reitores das instituições públicas de ensino superior (IPES) de Minas Gerais, o pedido de reintegração do patrimônio dos estudantes, tomados pelo governo militar. Para o professor Luiz Cláudio a causa é mais que justa e se trata de uma reparação histórica.

A presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Lúcia Stumpf esteve presente em todo o Congresso e comemorou o fato de pela segunda vez uma mulher presidir a UEE. “A eleição de Luiza é um fato importante, pois incentiva a participação das mulheres em espaços políticos e demonstra o pensamento avançado e progressista do povo mineiro”.
.
Também prestigiaram o ato, o prefeito de Urucânia, Zezé Mansur, a presidente da Câmara Municipal de Viçosa, vereadora Cristina Fontes, o representante da Prefeitura Municipal de Viçosa, Marcos Melo "Marcão" e a representante da União dos Negros pela Igualdade (UNEGRO), Terezinha.

Veja o resultado das eleições para a nova diretoria da UEE (Biênio 2009/2011):
Chapa 1 – (11 de Agosto, Dia dos Estudantes) 107 votos
Chapa 2 – (Transformar o movimento estudantil) 84 votos
Chapa 3 – (OPOSIÇÃO – A hora é essa! ) 7 votos
Chapa 4 – (Transformar Minas com Aécio não dá!) 205 votos

De Viçosa, Pedro Leão e Ramon Fonseca para o Caderno Vermelho Minas

Foto: Débora Guedes

A Estrada vai além do que se vê!

Um comentário:

David Aragon disse...

Parabéns aos camaradas de Minas por contribuir para uma entidade estadual forte e consolidada. Nós aqui no Ceará ainda estamos na batalha para reconstruir a nossa UEE. Mas esse ano acho que finalmente conseguiremos, estamos na luta!