terça-feira, 16 de setembro de 2008

O segredo de Camões

Anedota que recebi da bela Jéssica, achei legal e compartilho com vocês:

O Vestibular da Universidade de São Paulo cobrou dos candidatos a
interpretação do seguinte trecho de um poema de Camões:

' Amor é fogo que arde sem se ver, é ferida que dói e não se sente, é um contentamento descontente, dor que desatina sem doer '.

Uma vestibulanda de 19 anos deu a sua interpretação em forma de poesia:

'Ah! Camões, se vivesses hoje em dia, tomavas uns antipiréticos, uns quantos analgésicos e Prozac para a depressão. Compravas um computador, consultavas a Internet e descobririas que essas dores que sentias, esses calores que te abrasavam, essas mudanças de humor repentinas, esses desatinos sem nexo, não eram feridas de amor, mas somente falta de sexo!'

Ganhou nota dez.

Foi a primeira vez que, ao longo de mais de 500 anos, alguém desconfiou que o problema de Camões era falta de mulher...


A Estrada vai além do que se vê!

2 comentários:

J. disse...

Já diria o Oswald Andrade em seu poema AMOR,humor.RS. Por isso, a poesia, campo mítico, por exelência, explica direitinho o amor.Sendo Camões em seu tempo, ou a vestibulanda, agora!
E viva a poesia, viva o Humor, ops,
Amor!
Adorei!

Luciana disse...

Esse texto é muito bom mesmo. Ele mostra claramente a visão do amor na atualidade.
Parece até com uma frase que li hoje: q principe encantado que nada. Bom mesmo é o lobo mal, que te vê melhor, te escuta melhor e ainda te come. Rssssssss.