quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Uma nova Montes Claros nasce das ruas e das urnas

Ramon Fonseca

Após quase quatro meses de intensa campanha, as eleições municipais chegaram ao fim em todo o Brasil no último domingo. Assim como em trinta cidades, entre elas dezenove capitais, a decisão em Montes Claros ficou para o segundo turno. Disputavam a Prefeitura, numa reprise de quatro anos atrás, o atual prefeito Athos Avelino (PPS) e o deputado estadual Tadeu Leite (PMDB).

Mas desta vez o final foi diferente.

Se há quatro anos, Athos representava a esperança de mudança que a cidade almejava: uma administração democrática e participativa, dessa vez, o atual prefeito representava a decepção de uma gestão incompetente, fechada e que buscou criminalizar os movimentos sociais. Arremedos de um Orçamento Participativo que não funciona, como a comunidade do Bairro Alterosa sentiu na pele, obras de última hora visando unicamente às eleições, e uma campanha pautada na mentira e na veiculação de panfletos apócrifos foi a tônica da desastrada administração do PPS-PT em nossa cidade.

A juventude, que foi rechaçada da Prefeitura no dia 24 de abril quando buscava o legítimo direito do meio-passe no transporte coletivo urbano, deu o troco nas urnas. Nem o engodo da Casa da Juventude, inaugurada dez dias antes do início oficial da campanha eleitoral, nem o simulacro de projeto do passe estudantil enviado pelo executivo à Câmara Municipal, limparam a barra do Athos com os estudantes montesclarenses.

Enquanto as principais lideranças do movimento estudantil e juvenil da cidade apresentavam propostas pautadas no Pacto pela Juventude, os funcionários jovens da Prefeitura eram obrigados a passar noites e madrugadas espalhando panfletos apócrifos pela cidade para tentar desestabilizar a candidatura de Tadeu Leite. Com uma atitude arrogante e prepotente, envidaram todos os esforços para se demonstrarem superiores intelectualmente aos eleitores do candidato da coligação “Montes Claros para Todos”. Aqueles que não comungavam de suas práticas eram chamados de reacionários, fascistas e outros termos impublicáveis. Enquanto isso, os jovens montesclarenses se animavam com a possibilidade da criação da Secretaria Municipal de Juventude, da democratização do Conselho Municipal de Juventude (que a maioria da população desconhece a existência), da implantação do ProJovem em nossa cidade. Enfim, com a possibilidade de eleger representantes que respeitem a juventude de Montes Claros.

Como se não bastasse, ainda tivemos que assistir ao apoio patético do Ruy Muniz (DEM), fundador do PT e primeiro candidato a prefeito deles ainda na década de 80, falando sobre ética e honestidade no programa eleitoral do candidato do PPS.

Athos teve, no segundo turno, 572 votos a menos que na mesma etapa na eleição municipal passada, mesmo com o aumento de quase dezenove mil eleitores nesses quatro anos. Enquanto isso, Tadeu Leite teve 16.901 votos a mais do que no segundo turno em 2004.

Enfim, por mais que possam espernear, os 96.374 votos que a população deu a Tadeu Leite, o referendam pra ser o prefeito de nossa cidade. Esperamos que a paralisia e os desmandos administrativos tenham chegado ao fim e que o povo de Montes Claros tenha uma cidade melhor para viver nos próximos quatro anos.

Fotos: Xu Medeiros

A Estrada vai além do que se vê!

5 comentários:

Péricles disse...

E ai Ramon, parabéns pelo seu blog caramada tá bombando, aqui posso por no meu blog tbm??
outra, estou precisando ir ai em MOC, e os meninos tbm, se vc suber de alguma articulação de passagem por ai, dá umk toque pra nóis.

Saudações
--
Péricles Francisco
Diretor de comunicação da UCMG (União Colegial de Minas Gerais)
31-84061318
e-mail: comunicacaoucmg@gmail.com
msn: pericles.xikim@hotmail.com
grupos: ucmg@grupos.com.br
www.ucmgnet.blogspot.com

Ariadne Carvalho disse...

"Com uma atitude arrogante e prepotente, envidaram todos os esforços para se demonstrarem superiores intelectualmente aos eleitores do candidato da coligação “Montes Claros para Todos”. Aqueles que não comungavam de suas práticas eram chamados de reacionários, fascistas e outros termos impublicáveis."

Queria dar destaque a essa parte do artigo que acho que merece atenção.

Cheguei a ouvir barbaridades proferidas por apoiadores do atual prefeito, essa elite que se diz intelectualizada e é na verdade insensível as malezas do povão.

Que belo troco não?

Parabéns pelo artigo.

Bjim procê!

Anônimo disse...

Ei Ramon
Parabéns pelo artigo.É verdade a única coisa que os opositores do prefeito eleito poderá fazer é espernear, não nos restaram outras alternativas... Agora é só esperar que Tadeu e sua ideologia "povo" se concretize. Acredito muito que o que foi feito de bom,ele fará melhor ainda, penso que começará criando um segundo andar no feijão semeado e isso é mesmo Muito bom para a cidade de Montes Claros não é verdade??? É o que o povo quer... então viva o povo!!!!

"Bem aventurados sejam
Os senhores do progresso
Esses senhores do REGRESSO..."

Luciana Lopes disse...

Ramon:
parabéns para a população Montes Clarense. A vitoria do Tadeu nada mais é do que um reflexo do periodo de mudanças que a cidade esta vivendo.
A juventude se conslidou muito nesse processo e com certeza, ao lado do Tadeu fara muita coisa.
Abraços.

skbrain disse...

Engraçado ver como o assistencialismo, a demagogia, as promessas vazias são realmente valorizadas em Montes Claros.


Aliás parabéns ao UJS e ao PC do B de MOC por aprenderem com o oportunismo do PMDB mineiro de Newntom Cardoso e sua corja...

Estão realmente de parabéns !