terça-feira, 4 de maio de 2010

Não à mercantilização da educação

Faculdades particulares exigem que estudantes apresentem um fiador para fazer suas matrículas e frequentar seus cursos

Foi identificada no Centro Universitário de Belo Horizonte – UNI-BH - uma novidade nas matrículas das faculdades privadas. As direções estão exigindo a apresentação de um fiador para aceitar os candidatos às suas vagas. Para o estudante poder frequentar seu curso, após ser aprovado no vestibular, deve ter um fiador para assinar o contrato.

A imposição ocorre principalmente no cursos de Medicina, pois as mensalidades são mais altas. A faculdade declarou que o aumento da inadimplência é a causa desta medida arbitrária.

A inadimplência é resultado dos preços abusivos que são cobrados e uma grande parte dos jovens não conseguem pagar. O mais absurdo é que já existem mecanismos para expulsar os estudantes que são inadimplentes, com a exclusão das listas e o impedimento de os estudantes entrarem na faculdade, com apenas um mês de atraso.

As faculdades particulares exigem no contrato de matrícula a assinatura de testemunhas e a indicação de um responsável financeiro quando o calouro é menor de idade. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, “o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Minas Gerais (Sinep-MG), Ulyssess Panisset, afirma que a prática é 'uma novidade' no mercado. Segundo ele, a lei que fixa cobranças das mensalidades não veta a medida. 'Se não tem lei que proíba, então é permitido.'” (19/4/2010).

A União Estadual do Estudantes de Minas Gerais repudia este tipo de ação das universidades, uma vez que essa pratica é mais um claro tratamento da educação como mercadoria. Essa medida dificulta ainda mais o acesso de estudantes de camadas historicamente excluídas em cursos como o de Medicina.

É necessária a ampla denúncia de práticas como estas no ensino privado sobre os estudantes.

A UEE-MG convoca todos os estudantes a lutarem contra esse tipo de ação!

Contra a exigência de fiador para matrícula!

Educação não é mercadoria!

Pela regulamentação do ensino privado!

Belo Horizonte, MG 28 de Abril de 2010.



A Estrada vai além do que se vê!

Um comentário:

Flavio disse...

Necessitamos fazer um aplo debate alertando a sociedade o que esse grupo que dirige uma das maiores universidade privada do estado querem tratar a educação com um imenso descaso submetendo a educação a passar como se fosse uma grande mercadoria a ter até mesmo fiador para ter acesso a educação não é isso que necessitamos,o debate que travamos durante anos é como facilitar a entrada de um jovem no ensino superior não ficar dicultando com burocracia sem lógica a entrada de estudante na universidade.
Não pago não pagaria educação não é mercadoria.