quinta-feira, 14 de agosto de 2008

"Me sinto mais orgulhoso em ser brasileiro por estar ajudando a reparar a sede da UNE e da UBES" - Lula


Na Praia do Flamengo, Rio de Janeiro, a frase do Presidente Lula ecoou até o terreno que terá por direito a reconstrução com ajuda financeira do Governo Federal
Às 14 horas desta terça-feira (12) na Praia do Flamengo, 132, aconteceu um Ato Político em que o Presidente Lula assinou Projeto de Lei que reconhece a responsabilidade do Estado brasileiro na demolição da sede das entidades estudantis. "Não vou procurar culpados, eu, como representante do Estado Brasileiro vou reparar o erro cometido contra a sede destes jovens em 1964", afirmou Lula.
A abertura se deu com o ex-presidente da UNE (61/62), Aldo Arantes que reafirmou a importância da Presença de Lula na sede como tendo um significado histórico e deixando registrada a marca da democracia do atual governo.
"Foi eu que trouxe o ex-presidente Jango até a sede das entidades, ele havia sido o único a pisar aqui. Lula reconhece a responsabilização do Estado e procura ajudar na reconstrução através do Projeto do Oscar Niemeyer", conta Aldo. Ele afirma também que a destruição da então chamada "Casa da Resistência Democrática", como era conhecida a sede antes de ser destruída, não abalou os idéias dos jovens estudantes e que essa chama permanece viva.
O ex-presidente da UNE também foi o responsável pelo UNEvolante que percorreu o Brasil com atividades culturais e levando consciência política. Aldo presenteou o Ministro Temporão e os familiares de Jango com um retrato do UNEvoltante e disse estar feliz pela iniciativa do lançamento da Caravana da UNE que tocará em três pilares básicos da formação da sociedade, saúde, educação e cultura em 41 universidades do país; totalizando 32 mil km e muitas horas de debates sobre os temas. Depois o atual presidente da UBES, Ismael Cardoso , reforçou a satisfação da conquista da reparação do Estado brasileiro ao movimento estudantil, declarou que "só com a rebeldia conseqüente se constrói um Brasil soberano". Já a presidente da UNE, Lúcia Stumpf afirmou o simbolismo em torno do ato de Lula, pois foi naquele terreno que as lutas dos estudantes começaram.
Lúcia conta que o primeiro lugar a ser atacado e posteriormente incendiado em 1º de Abril de 1964, na gestão do ex-presidente da UNE José Serra, foi a sede das entidades e diz que isso aconteceu por lá ser o maior centro de resistência de onde partiam as irreverentes lutas contra os ideais vendidos pelos EUA. "E em 1º de fevereiro de 2007, na gestão do ex-presidente da UNE, Gustavo Petta e do ex-presidente da UBES, Thiago Franco que nós retomamos a nossa sede. Hoje o Estado Brasileiro reconhece a responsabilidade pela demolição da sede e trata com justiça para que a juventude caminhe na construção de um Brasil justo e democrático", diz Lúcia.
A presidente da UNE afirma também que nesse local será o nascimento de artistas, assim como foi em diversos momentos do passado e que a Caravana da entidade ajudará na promoção de debates e no auxílio da construção das Políticas Públicas de Juventude. "É a UNE e a UBES celebrando a volta para casa".
Para o Ministro da Educação, Fernando Haddad , ex-presidente do Centro Acadêmico 11 de agosto do Largo São Francisco – USP, deve-se investir cada vez mais na expansão das Universidades Federais. "Quando foi lançado o programa de bolsas de estudos nas universidades públicas, em 2003, houve críticas da elite conservadora que afirmava que a presença de estudantes de baixa renda provocaria uma queda no desempenho e no nível das universidades. Os Estudantes somaram forças e fizeram aprovar o maior plano de expansão de vagas gratuitas do país", conta Haddad se referindo ao Prouni e também ao Reuni (Plano de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais do país).
O Ministro da Educação citou grandes feitos como o aumento do piso dos professores, Fundeb, expansão das escolas técnicas e a vitória do Sistema S. "Tudo isso foi conquistado através da luta dos estudantes, hoje uma ferida se cicatriza e deveríamos citar todos os nomes que tombaram essa sede como heróis da resistência democrática", diz.
Para o Ministro da Saúde, José Gomes Temporão , não existe conquistas democráticas sem a juventude irrequieta, consciente e que luta. "Esse ato é um divisor de águas e mostra o fortalecimento do movimento estudantil e dos brasileiros", afirma. Temporão conta que foram seis meses de muito trabalho na construção da caravana que levará, em meio a tantos outros debates, a questão da defesa da saúde pública. "Isso no ano em que o Sistema Único de Saúde (SUS) completa vinte anos de existência. São muitos pontos importantes que devem ser debatidos com estes jovens, álcool e trânsito, cigarro, doenças sexualmente transmissíveis entre outras, o que significa que só teremos saúde pública de qualidade se levarmos o debate político junto".
O próximo ao expressar a alegria dessa conquista foi o Secretário-geral da Presidência da República, Luiz Dulci . "Em toda a história a juventude estudantil esteve na vanguarda das revoluções. Foi assim no século dezenove, no apoio aos estudantes operários, na luta de Castro Alves e dos estudantes a favor da abolição da escravatura, na briga da neutralidade brasileira versus o nazi-facismo sendo que foram estes jovens estudantes que foram lutar contra a Alemanha durante a guerra, estiveram presentes também na criação da Petrobrás, nas reformas de base e nas Diretas Já. Em todos os grandes episódios da história há uma contribuição da juventude", afirma o Secretário.
Dulci cita a UNE como incentivadora da retomada do Projeto Rondon, em 2005 e que, juntamente com a UBES, articulou muito bem o projeto da reconstrução da sede. "São cerca de 400 parlamentares que devem estar de acordo com a reconstrução. Parabéns Presidente Lula pela iniciativa e este Projeto de Lei, que o presidente assina hoje e encaminha ao Congresso, foi revisado e articulado pela Caixa Econômica Federal, que analisou a viabilidade financeira. Tudo foi feito com transparência", conta.
O atual Governador de São Paulo, José Serra , foi presidente da entidade no ano em que ela foi incendiada e falou sobre ter sido o primeiro ataque no dia do golpe pela importância da atuação da juventude. Para o Governador o prédio foi vítima de um duplo ataque, o primeiro foi o incêndio e o segundo a demolição em 1979 que, de acordo com o Governador, foi executada somente para destruir um símbolo, somente por birra e que hoje se revigora com a reconstrução.
"Foi em cima da UNE que se concentrou o projeto da Petrobrás sob o mote 'O petróleo é nosso', e os jovens estavam com a razão quanto à criação da empresa; o papel da UNE também foi significativo nas décadas de 50 e 60 no processo da renovação da cultura e do movimento artístico no Brasil. Ter o prédio construído novamente é um símbolo e um incentivo à recuperação dos ideais", afirma Serra.
Depois foi a vez do Governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral , falar sobre a importância deste marco histórico para o Estado. "A direção da UNE e da UBES foi feliz ao pensar na reconstrução do prédio, aliás o Presidente Lula sana com muita competência as dívidas com o Rio de Janeiro com relação ao investimento nas favelas e a educação", diz.
Para Cabral a retomada do terreno faz parte da agenda de resgates do Rio que para ele foi o Estado mais violentado no período da ditadura militar. "E foi com muito orgulho que no meu primeiro mês de governo ajudei, a pedido do então Presidente da UNE, Gustavo Petta, a botar para fora os exploradores do terreno que ganhavam dinheiro fazendo do espaço um estacionamento, além da importância das entidades na luta pela primeira lei de gratuidade nos metrôs, ônibus e trens para estudantes de escolas públicas". Depois foi a vez de o Presidente Lula expressar seus sentimentos com relação à iniciativa de reconstrução da sede das entidades e, também de posicionar a visão do Estado Brasileiro nessa empreitada. "O Petta ajudou de forma extraordinária na aprovação do Prouni enquanto algumas pessoas que se diziam de esquerda foram contra o projeto e hoje as avaliações mostram que entre os melhores alunos estão os pobres da periferia, anteriormente acusados de nivelar a educação por baixo", afirma o Presidente.
De acordo com Lula o Prouni fez renascer a esperança dos jovens e disse saber e se solidariza com a Presidente da UNE, Lúcia Stumpf, por saber que com o apoio da UNE ao Reuni a entidade perdeu muitos DCE´s, além disso o Presidente criticou os que apostam no insucesso dos projetos do país.
Posteriormente o Presidente saudou a UBES e afirmou que nunca, nestes seis anos em que esta no governo, houve uma relação de cooptação. "Sempre foi uma relação civilizada e determinada para a construção de um projeto de nação, e é com muito orgulho que ao final do meu governo entregarei às entidades mais 214 Escolas Técnicas, mais 10 novas Universidades Federais, 48 especializações, uma Universidade latino-americana e uma Universidade afro-brasileira, além do reconhecimento dos trabalhos dos quilombolas", conta.
Voltando ao projeto de reconstrução da sede o Presidente Lula afirma que o Estado brasileiro é o culpado pelo que aconteceu à sede das entidades e diz que este Projeto de Lei vai entrar no Congresso e é importante a articulação das entidades para que ele seja aprovado. "O dinheiro já existe, mas para fazermos tudo da maneira correta não podemos entregar a verba diretamente".
Lula desafia os jovens a incentivar o debate para a revisão da Lei do Petróleo, afirma que com as descobertas das novas jazidas o Brasil não será somente exportador, mas também auto-suficiente e construirá refinarias para que a exportação seja do produto final e não da matéria prima. "Não podemos abrir mão, o petróleo é um patrimônio da União e é preciso destinar o dinheiro para resolver questões da educação, e para transformar o Brasil".
"Me sinto mais orgulhoso em ser brasileiro por estar ajudando a reparar a sede da UNE e da UBES, afirma o Presidente.


Presentes:
Danilo Moreira – Presidente do Conselho Nacional de Juventude
Luís Roberto Cury – Secretário Nacional de Juventude
Aldo Arantes – Ex – Presidente da UNE (61/62)
Ismael Cardoso – Presidente da UBES
Lúcia Stumpf – Presidente da UNE
Reginaldo Lopes – Deputado Federal
Chico Lopes – Deputado Federal
Inácio Arruda – Senador
Ideli Salvatti – Senadora
Paulo Duque - Senador
José Serra – Governador do Estado de São Paulo
Luiz Fernando Pezão – Vice-governador do Rio de Janeiro
Edson Santos – Ministro da Igualdade Racial
Wadson Ribeiro – Ex – Presidente da UNE e Ministro Interino dos Esportes
Luis Inácio Lula da Silva – Presidente do Brasil
Sérgio Cabral – Governador do Estado do Rio de Janeiro
Fernando Haddad – Ministro da Educação
José Gomes Temporão – Ministro da Saúde
Luiz Carlos Dulci – Secretário Geral da Presidência da República
Jean Marc Van der Weid - Ex – Presidente da UNE (69/70)
Aldo Rebelo – Ex – Presidente da UNE (80/81)
Wadson Ribeiro – Ex – Presidente da UNE (99/01)
Gustavo Petta – Ex – Presidente da UNE (03/07)
Marcelo Brito (Gavião) - Presidente da UJS


Texto e fotos de Nadini Lopes para a página da UJS


A Estrada vai além do que se vê!

2 comentários:

Luciana Lopes disse...

A UNE reune cultura e tradição. A UNE, a UNE,a UNE é a União Nacional dos Estudantes. Mocidade brasileira, nosso hino é nossa bandeira...
Parabéns para a UNE e para UBES, entidades serias, que lutam pelo estudante brasileiro por mais essa conquista histórica.

´´A juventude não se acaba. É UNE e UBES de volta para casa.´´

Valdecy Alves disse...

Olá!

Leia matéria sobre a luta dos profissionais da educação no Estado do Ceará, agora em janeiro de 2010, onde são relacionadas às principais maldades que precisam ser vencidas. Ipaumirim já votou pela greve, Ubajara em estado de greve, Fortaleza em Estado de greve. Você ainda pode conferir vídeo sobre a greve histórica do interior e capital do Ceará no ano de 2009. Veja, divulgue e comente. A LUTA HOJE DEVE ASSUMIR O STATUS DE UMA VERDADEIRA CRUZADA! Bastando clicar em:
www.valdecyalves.blogspot.com