quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Até quando?


Dados preliminares do DETER (Detecção do Desmatamento em Tempo Real), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), apresentados ontem pela Ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, demonstram que nos últimos cinco meses do ano passado foram desmatados 3.235 quilômetros quadrados na Amazônia.
Os dados apresentados têm como base o sistema DETER que, para ser mais rápido, registra apenas parte do que é desmatado. Levando em conta os dados históricos, estima-se que a área cortada possa chegar a 7.000 km2 entre agosto e dezembro de 2007.
A Ministra Marina Silva participou hoje de manhã de uma reunião com o Presidente Lula, onde seriam discutidas medidas para frear a ação predatória que continua ocorrendo em nossa floresta. "Mas o governo não quer pagar para ver. Vamos fazer frente ao processo, tomar a dianteira e mostrar que é possível a governança mesmo em anos atípicos", afirmou Marina.
Entre as medidas propostas está o aumento da fiscalização nessa região, principalmente nos estados campeões de desmatamento neste último período: Mato Grosso, Pará e Rondônia.
O avanço do capital continua gerando sérios riscos para nossos biomas, e aqui no Cerrado a situação não é diferente. É preciso que pautemos a responsabilidade socioambiental na III Conferência Nacional de Meio Ambiente, que ocorrerá em Brasília de 8 a 11 de maio deste ano, com o tema Mudanças Climáticas. Maiores informações na página: http://www.mma.gov.br/cnma/conferencia
Estaremos lá para conferir.
A Estrada vai além do que se vê!

2 comentários:

MIneirinho disse...

e uma vergonha oque acontece no nosso pais ... afff
o mundo esquenatnu e neguim derrubanu arvores!

thiagoferreiracoelho disse...

É, o aquecimento global tá chegando aí...
Vá lá que nós mineiros gostaríamos de ter litoral em nosso estado, mas essa história de alagar o Espírito Santo sempre foi uma brincadeira. O fato disso se tornar um realidade possível (e próxima de acontecer) é assustador, e deve servir de alerta.